Municípios ECONOMIA

Crescimento de mais de 129% leva Alagoas ao 2º lugar em investimentos entre os estados do país

.

14/10/2021 às 15h26
Por: Redação Fonte: Agência Alagoas
Compartilhe:
Fachada do Hospital do Sertão, em Delmiro Gouveia, quando estava sendo construída Felipe Brasil/Arquivo
Fachada do Hospital do Sertão, em Delmiro Gouveia, quando estava sendo construída Felipe Brasil/Arquivo

Tatyane Barbosa e Secom Alagoas

Com aumento de 129,3%, Alagoas é o segundo Estado do Brasil que mais cresceu em investimentos em 2021, em comparação com o ano passado. Enquanto seis Estados registraram queda e outros sete cresceram menos de 11%, Alagoas ficou imediatamente à frente do Maranhão no ranking encabeçado por Goiás – únicos três com aumento de mais de 100%. Os dados foram levantados pelo jornal Valor Econômico, a partir dos relatórios fiscais entregues pelos Estados à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Ministério da Economia, e comparam os períodos de janeiro a agosto de 2020 e de 2021.

“Neste período, o Governo de Alagoas liquidou R$ 666,3 milhões em investimentos, com alta de 129,3% em relação a iguais meses de 2020. O Estado deve atingir R$ 2 bilhões neste ano, dobrando o que foi feito no ano passado. Para o próximo ano, devem ser investidos outros R$ 2 bilhões”, afirma o secretário de Estado da Fazenda de Alagoas, George Santoro.

 

Foto: Dárcio Monteiro

 

O volume de investimentos do Governo do Estado se materializa para a população alagoana na entrega de obras e serviços em áreas essenciais, como os novos hospitais e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), os Centros Integrados de Segurança Pública (CISPs) e outros prédios para as polícias Civil e Militar, e a expansão e melhoria das estradas, entre outros. A continuidade desses programas, junto a novas iniciativas como a construção inédita de 200 creches em todo o estado, deve impulsionar os investimentos de Alagoas até o próximo ano.

A perspectiva de analistas e representantes dos Estados é que os investimentos continuem acelerados, sustentados por superávits financeiros de 2020 e arrecadação vigorosa em 2021. Os altos preços também favorecem receitas de royalties do petróleo e direitos minerários.

 

 

Somados, os investimentos dos 27 entes federados fecharam em R$ 5,1 bilhões de janeiro a abril deste ano, tendo alta de 3% nominais contra os mesmos meses de 2020. Já no segundo quadrimestre de 2021, o ritmo dos gastos aumentou, com total de R$ 13,5 bilhões e crescimento de 42,4% contra o mesmo período do ano passado. Nos oito meses avaliados, os investimentos do conjunto dos 26 Estados mais o Distrito Federal (DF) totalizaram R$ 18,6 bilhões, com alta de 28,8% nominais. Segundo o Valor Econômico, a arrecadação própria cresceu 25% na mesma comparação.

O levantamento considera despesas liquidadas e receitas realizadas, e não inclui gastos e receitas intraorçamentários, segundo a publicação do jornal.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários