Municípios São José da Laje

Ex-prefeito da Laje, Rodrigo Valença vai brigar por vaga na Câmara Federal

.

27/01/2022 às 14h41
Por: Redação Fonte: AL1
Compartilhe:
Rodrigo Valença tem construído sua pré-candidatura a federal em contato com lideranças de diversas regiões de Alagoas
Rodrigo Valença tem construído sua pré-candidatura a federal em contato com lideranças de diversas regiões de Alagoas

Ele tem 36 anos, é advogado e foi prefeito de São José da Laje por dois mandatos seguidos entre os anos de 2013 e 2020. Ao deixar o cargo no final de 2020 e ter eleito sua sucessora, a atual prefeita Vanessa, teve sua gestão aprovada por 95% dos lajenses. Falamos de Rodrigo Valença que tem seu nome posto no processo eleitoral deste ano como pré-candidato a deputado federal pelo Progressistas e que pode ser uma grata surpresa nas urnas. Além de sua base eleitoral formada por pelo menos 11 cidades da Zona da Mata alagoana, Rodrigo tem expandido seu campo de atuação política para outras regiões e faz questão de frisar que não quer ser ‘deputado federal’ apenas por uma região, mas sim por todos os alagoanos. Nessa entrevista, ele fala de seus planos futuros e de como tem centrado suas articulações politicas para chegar ao alvo desejado: sair das urnas com um mandato federal.

- O que lhe levou a pensar em uma candidatura a deputado federal?

- Nesses oito anos de mandato em que estive como prefeito de São José da Laje já via a necessidade da região [Zona da Mata] que tem quase 300 mil habitantes ter uma liderança que representasse os seus interesses em Brasília, uma pessoa que tivesse origem nela. E eu como estudei e cresci em São José da Laje já acompanhava União dos Palmares que é a cidade referência da região, Murici, Branquinha, esse lado do Vale do Mundaú, e também o lado do Vale do Paraíba que pega Cajueiro, Atalaia, enfim, já acompanhava as necessidades desse povo e da representatividade. Então concluído meus dois mandatos, a gente elegeu minha sucessora, a Vanessa [atual prefeita de São José da Laje] e eu vi que existia um vácuo, um espaço, então me coloquei à disposição das lideranças para ser esse representante e para isso tenho visitado as cidades, ouvido as pessoas, meu tipo de politica é de ouvir, atender as necessidades das pessoas e construir a partir disso uma política diferente.

- Como você tem construído sua pré-candidatura a deputado federal?

- Nós iniciamos a partir da Zona da Mata, onde a gente já tem um grande apoio e estamos construindo novas alianças do lado do Sertão, do baixo e do alto sertão e hoje a nossa pré-campanha já está presente em quase 30 cidades dos 102 municípios. E a gente foi construindo isso sentando na mesa, dialogando, conhecendo as cidades, estando perto do povo, acompanhando as necessidades de cada lugar. E Alagoas é um estado pequeno, mas que tem quase 4 milhões de habitantes, então a gente tem uma atenção diferenciada para cada região, sendo que nosso ponto de partida é a Zona da Mata, mas me sinto preparado para representar  toda Alagoas. Eu tenho ouvido, tenho anotado, conversado, tenho aprendido com as necessidades e as conversas que tenho em outros municípios. Tenho andado nos municípios, me reunido com lideranças, mas também ouvindo à população sobre o que acham da política, muitos estão desgostosos com a política, mas a gente mostra que existe uma esperança, acreditar no novo, no diferente, isso tem dado um gás, tenho encontrado muitas pessoas boas, muita gente boa que acredita na politica é que se mostra disposta a acreditar na nossa campanha. O alagoano é um povo do bem, trabalhador, que quer apenas um futuro melhor para o seu neto, seu filho, sua cidade, isso nos deixa animado e é esse o tipo de política que quero fazer ao lado das pessoas, representar as pessoas honestamente.

- Qual o papel de seu pai, o Neno da Laje na construção da sua candidatura?

- Meu pai já foi prefeito por três vezes de São José da Laje e sempre acompanhei a política desde pequeno com minha mãe, minhas irmãs, mas o legado mais importante que ele me deixou foi de ajudar as pessoas. Eu fui crescendo e vendo aquilo, aprendi a fazer política assim, ouvindo, cuidando das pessoas e a gente tem visto muitos políticos assim, trabalharem diferente, fazem o que acham que as pessoas querem, não escutam, não acompanham o que o povo realmente precisa. E o legado que meu pai me deixou foi esse tipo de política, a de corpo a corpo, dos amigos, da família, de fazer uma política cuidando das pessoas.

- Em relação a seus dois mandatos de prefeito, o que você acha que deixou de mais importante para os lajenses?

- Eu falo que minha maior obra não foi de pedra e tijolo, minha maior obra nos meus dois mandatos, foi o cuidado com as pessoas, com idosos, mulheres, os mais necessitados, na saúde, na ação social, sempre fui para o lado humano, o resgate da auto estima do povo lajense, da coragem, de oferecer condições do estudantes que faziam faculdade em Maceió terem transporte todos os dias. Não existe uma obra de pedra e tijolo, existe uma gestão voltada para o lado humano, de atender as necessidades das pessoas, enfim eu sempre tive coragem para fazer o que era necessário naqueles momentos como prefeito.

- Qual importância das redes sociais para sua estratégia de campanha e para tornar seu nome mais conhecido em Alagoas?

- A rede social é uma porta muito importante, sempre tive cautela de mostrar realmente o que era feito na Laje, como era meu trabalho, nunca manipulei a rede social. Vejo muitos políticos manipularem, fazerem coisas que não existem na realidade, mas meu trabalho sempre foi focado no que se passava na cidade. Isso foi dando ao povo um canal de comunicação e a rede social é muito forte em relação a isso, ela permite o acesso a pessoas de outras regiões, de outras cidades e ate de outros estados a conhecerem nosso trabalho. A rede social é essencial hoje, é onde a gente mostra nosso trabalho, nossas qualidades.

- Como tem sido a aceitação de seu nome junto aos maiores grupos da política de Alagoas?

- Eu tenho trabalhado e focado na aceitação do meu nome direto com o povo. Hoje faço parte do grupo politico do PP, a gente já votou no Arthur Lira [presidente da Câmara Federal] la atrás em 2018, construindo uma lealdade, uma fidelidade dentro do grupo do PP, mostrando nosso trabalho, onde nos foi dado condições de fazer nosso trabalho, mais obras, poder trabalhar mais pelas pessoas de São José da Laje. Isso foi sendo construído na base da fidelidade, na base da confiança e com muito respeito onde eu fui prefeito duas vezes pelo MDB, a gente pode andar em novos caminhos, construindo novas amizades, novas parcerias, claro que a gente tem um legado para trás, mas a gente pensa no futuro, olho para o que eu quero fazer, para o meu objetivo, dentro do meu reduto eleitoral, o que preciso trabalhar, melhorar da minha imagem, do meu trabalho. Tenho gratidão por onde passei, sempre fui bem atendido, mas sempre retribui com muito trabalho as oportunidades que a mim foram dadas.

- Sua pré-candidatura a deputado federal tem o entusiasmo do deputado Arthur Lira?

- O Arthur Lira é um cara muito visionário, em 2018 a gente nem imaginava que ele fosse ser presidente da Câmara e ele tem trabalhado constantemente, não é fácil liderar uma casa tão plural como a Câmara dos Deputados com 513 deputados, pessoas experientes, lidando com várias regiões do Brasil, então não é fácil e ele tem feito isso com muita maestria, equilíbrio, no Brasil como um tudo. E o Arthur Lira tem incentivado candidaturas novas, tanto que a Ângela Vanessa foi eleita pelo PP e o partido já estava apostando em novos candidatos, na mulher, no jovem. Eu enxergo nele um ponto de incentivo a essas novas candidaturas, como aqui recentemente em Maceió, com a candidatura do prefeito Davi Davino [eleição de 2020], que foi uma candidatura nova, que galgou sucesso, não teve a vitória esperada, mas que galgou uma grande campanha. Então, o Arthur Lira tem essa sensibilidade, ele enxerga, aposta, ele investe nas pessoas, nos jovens e acho que o objetivo dele hoje no PP é esse, é fazer dois, três candidatos com essa maestria.

- O que o povo alagoano pode esperar de Rodrigo Valença na Câmara dos Deputados?

- O povo de Alagoas pode esperar de mim coragem, determinação, sensibilidade, o meu tipo de politica é cuidar das pessoas, então os alagoanos podem esperar de mim é isso, eu não tenho medo de trabalhar, sou muito persistente e não desisto fácil, como no meus mandatos eu sempre conquistei grandes desafios, sempre corri atrás e é assim que decidi seguir minha carreira politica dessa maneira, com coragem determinação e o pé no chão, é claro.

- Que mensagem você deixa para os alagoanos nesse momento?

- Quero convocar os alagoanos para que se expressem nessa política, a gente já se aproxima do inicio de uma pré-campanha e eu convoco todos os alagoanos, seja o jovem, o adulto, a mulher, para que todos despertem e possamos enxergar a nova política, que a gente possa encontrar em cada partido, em cada liderança, não o novo por ser novo, mas o novo com consistência, não aquele que não tenha nada concreto, sem essência, mas aquele com experiencia, que dê condições para o nosso estado avançar ainda mais. A gente merece, o povo alagoano merece, então eu convoco todos vocês, jovens, mulheres, idosos, para que todos unidos, a gente possa renovar a política do nosso Estado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários