Saúde Saúde

Crianças de 7 anos sem comorbidades podem se vacinar contra Covid-19 a partir desta sexta (28)

Vacinação pediátrica acontece no Maceió Shopping, Praça Padre Cícero, Terminal do Osman Loureiro e Papódromo

28/01/2022 às 08h57
Por: Redação Fonte: Ascom Maceió
Compartilhe:
Assessoria
Assessoria

A Prefeitura de Maceió começa a vacinar crianças de 7 anos sem comorbidades contra a Covid-19 nesta sexta-feira (28). Com isso, o público beneficiado com a imunização contra a Covid-19 passa a ser crianças de 7 a 11 anos sem comorbidades e de 5 a 11 com comorbidades e/ou deficiência permanente. A vacinação pediátrica é aplicada em espaços específicos com decoração temática e recreação. Nos demais espaços a vacinação segue para pessoas de 12 anos ou mais com aplicação de primeira, segunda e doses de reforço.

A vacinação pediátrica acontece em espaços preparados para a criançada nos quatro pontos fixos, que funcionam no Maceió Shopping (Mangabeiras), no horário das 9h às 21h e na Praça Padre Cícero (Benedito Bentes), Terminal do Osman Loureiro (Clima Bom) e Papódromo (Vergel) das 9h às 16h.

A vacinação para crianças de 5 a 11 anos é cercada de cuidados, com logística desenvolvida especialmente para elas. A vacina é aplicada nas salas climatizadas desenvolvidas para a vacinação com o imunizante da Pfizer, conforme recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além disso, para cumprir o tempo mínimo de 20 minutos de observação pós-vacinação, as crianças dispõem de espaços temáticos e interativos para assegurar a elas um ambiente acolhedor. Elas são recebidas por recreadores e recebem ‘Certificado de Coragem’ como demonstração de valorização do ato de se vacinar.

Especialistas reafirmam que a imunização de toda a população vacinável, conforme estabelecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é fundamental para o controle da pandemia.

“As crianças não vacinadas estão suscetíveis à Covid-19. As crianças pegam a Covid-19 e adoecem também, precisamos ter isso em mente. Mesmo as crianças assintomáticas podem disseminar o vírus, por isso, precisamos ter o máximo de cuidado com essas medidas em geral. A variante Ômicron tem uma capacidade de transmissão muito maior, como estamos vendo. A vacinação para as crianças de 5 a 11 anos, assim como dos adolescentes, já em andamento, vai melhorar bastante essa situação. A responsabilidade dos adultos é fundamental, tanto na própria imunização, completando o esquema vacinal, quanto na vacinação das crianças”, afirma o médico infectologista Renee Oliveira. “Precisamos também intensificar os cuidados com a proteção não farmacológica, mantendo o uso de máscaras, distanciamento social e higienização das mãos”, reforça o médico.

Desde o início da vacinação pediátrica, em 17 de janeiro, Maceió vacinou 5.281 crianças, o que representa apenas 5,4% do público infantil. A Prefeitura tem dedicado o máximo esforço para ampliar a adesão à vacinação pediátrica, com funcionamento nos fins de semana para facilitar o acesso aos pais que trabalham durante a semana.

“O prefeito JHC tem feito todos os investimentos e esforços necessários para levar a imunização para toda a população. Todos os servidores estão empenhados em salvar vidas, mas isso só vai ser possível se as pessoas comparecerem aos pontos de vacinação, levarem seus filhos, seus sobrinhos, seus enteados. A eficácia e a segurança da vacina estão comprovadas pela Anvisa e a única consequência de não se imunizar é a piora dos casos”, alerta o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada de Enfrentamento à Covid-19, Claydson Moura.

Público

Seguindo os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde, a vacinação de crianças em Maceió começou com as crianças de 5 a 11 anos com deficiência permanente e/ou comorbidades e seguiu em ordem decrescente, vacinando, agora, também crianças de 11, 10, 9 e 8 anos sem comorbidades. As demais faixas de público serão anunciadas à medida que houver disponibilidade de doses.

Caso os pais não estejam presentes, é necessário o preenchimento do TERMO DE ASSENTIMENTO PARA ADMINISTRAÇÃO DA VACINA COMINARTY-PFIZER PEDIÁTRICA, além da cópia do documento de identificação do pai ou mãe, o qual ficará retido no ato da vacinação. Por fim, a caderneta de vacinação da criança e o CPF ou Cartão SUS.

Caso a criança não tenha CPF ou Cartão do SUS será necessário apresentação da certidão de nascimento. Para as crianças com comorbidades, também será necessário apresentar a prescrição médica, que ficará retida no local da vacinação.

Salvo as crianças com comorbidades, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) não exigirá prescrição médica nem cadastro prévio para a vacinação de crianças que deverão estar obrigatoriamente acompanhadas pelos pais ou responsáveis e, na ausência destes, por adulto com declaração de autorização assinada pelos pais.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários